Como saber se alguém te bloqueou no WhatsApp

Convenhamos: ser bloqueado no WhatsApp não é legal, mas é pior ainda ser bloqueado sem estar ciente disso. Felizmente, é bem fácil reconhecer os sinais de que você está impedido de se comunicar com alguém por meio do aplicativo. Basta saber onde procurar.

Para começar, quando você é bloqueado por alguém, não é mais possível ver quando a pessoa ficou online pela última vez. A janela de chat não informa mais o último horário em que ela usou o aplicativo, nem se ela está online no momento. Além disso, a imagem de perfil também deixa de estar visível para você.

Uma outra forma de confirmar o bloqueio é tentar enviar a mensagem para uma pessoa. Se o aplicativo mostrar apenas um tique cinza em vez de dois, é um indicativo de que a mensagem não foi entregue ao destinatário. O mesmo acontece se você tentar realizar uma chamada de voz pelo aplicativo: a ligação não será completada.

Por fim, nossa última dica é tentar adicionar a pessoa a um grupo. Caso o WhatsApp exiba uma janela de que não foi possível incluir aquele contato na conversa, trata-se de mais um sinal de que você foi bloqueado.

Gostou da dica? Se você tiver alguma outra dúvida, mande-a para nós nos comentários e não deixe de conferir outras dicas e tutoriais em vídeo no site olhardigital.com.br

Fonte: https://olhardigital.com.br/video/como-saber-se-alguem-te-bloqueou-no-whatsapp/75760    acesso em 29/04/2018 as 18:32.

Sua internet está lenta? Veja como medir a velocidade de conexão

Uma das principais reclamações dos usuários de internet é de que a conexão está lenta. A melhor forma de descobrir se a velocidade está dentro do limite contratado ou se você está com algum problema na rede local é fazendo um teste. Veja como verificar a velocidade da sua internet de banda larga:

Conecte o seu computador à rede que você quer testar e acesse o site http://www.speedtest.net/pt/. A página vai exibir um mapa indicando a sua localização e, ao passar o mouse pela seta verde, será possível verificar as provedoras de internet disponíveis.

Você pode clicar em “Iniciar teste” para verificar a sua conexão ou então escolher uma provedora para conferir qual oferece a internet com maior velocidade na região.

O medidor avalia o tempo de resposta do Ping, que é o comando utilizado para medição de conexão entre equipamentos, e as velocidades de download e upload.

No final do teste, são exibidos os resultados e ainda é possível comparar com medições anteriores, clicando no botão “Comparar seu resultado”, para analisar a variação da velocidade do serviço contratado.

 

Vale lembrar que um plano que ofereça “10 Mega”, por exemplo, não significa uma velocidade de download de 10 megabytes por segundo, pois velocidades de transferência são medidas em bits por segundo, não em bytes. Como cada byte é equivalente a 8 bits, então a velocidade real é 1/8 do valor em megabytes, ou seja, 1,25 Mbps.

O SpeedTest também está disponível com aplicativo para Android e iOS, o que possibilita medir a velocidade de internet 3G.

 

Fonte: https://olhardigital.com.br/noticia/sua-internet-esta-lenta-veja-como-medir-a-velocidade-de-conexao/66024  acesso em 29/04/2018 as 18:27.

8 dicas para melhorar o sinal Wi-Fi da sua casa

Com o avanço da internet nas residências, o Wi-Fi se tornou um dos meios de conexões mais populares entre os brasileiros, principalmente para os que utilizam aparelhos móveis para navegar na rede. No entanto, problemas ligados à conexão wireless são comuns, mas podem prejudicar sua navegação. Por exemplo, você consegue utilizar a internet em todos os cômodos da casa?

Algumas dicas são bastante úteis para melhorar a cobertura da sua rede doméstica. Por fazer algumas mudanças e rever algumas decisões tomadas para preparar a conexão, você poderá ter um sinal mais potente e estável. Veja abaixo 8 dicas para ajudá-lo a ampliar o sinal do Wi-Fi de sua casa.

1. Mantenha seus aparelhos atualizados

Sempre que puder você deve atualizar seus dispositivos para garantir sempre mais velocidade e confiabilidade na transmissão de dados. Assim como qualquer outro aparelho eletrônico, o acessório que fornece a rede Wi-Fi está em constante evolução, sempre com novas atualizações.

Atualmente existem quatro padrões IEEE 802.11 para redes sem fio: A, B, G e N. Os padrões A e G conseguem transmitir informações em até 54 Mbps. Já o padrão B transfere dados com até 11 Mbps de velocidade. O padrão mais moderno e rápido é o formato N, que consegue transmitir e receber dados em até 600 Mbps. Para conseguir atingir as maiores velocidades de conexão você precisa obter um roteador compatível com o padrão N e uma placa de rede em seu computador que suporte este formato. Placas desatualizadas podem ser substituídas facilmente e com um valor bem acessível. No entanto, os roteadores precisam ser substituídos por modelos mais novos.

2. Escolha um local adequado para o seu roteador

Talvez você tenha instalado a rede de internet sem fio em sua casa há algum tempo. Ela pode ter ficado em um local isolado, distante dos dispositivos que utilizam sua conexão. Por isso, é preciso analisar qual é o melhor lugar da sua casa para colocar o roteador, que funciona com ondas, como as de rádio ou as do seu celular. Sendo assim, qualquer obstáculo no meio do caminho pode interferir na sua cobertura.

A melhor estratégia é colocar o roteador em um lugar alto, pois assim o sinal se expande para baixo e para os lados e ele fica livre de objetos ao redor. Visto que o sinal se espalha por todas as direções, o mais indicado é colocá-lo no centro do cômodo. Outro ponto importante é instalá-lo no cômodo da casa onde mais irá utilizá-lo. Vale lembrar que telefones sem fio e microondas podem interferir no sinal. Por isso, o ideal é manter o roteador bem distante desses itens.

3. Proteja sua rede de ladrões de sinal

Mesmo que você já possua uma senha cadastrada em sua rede sem fio, pode ser que ela tenha sido descoberta e algum vizinho oportunista esteja utilizando sua conexão, o que certamente a deixará mais lenta. Uma das melhores maneiras de se proteger é optar por um padrão de segurança mais avançado, como o WPA. Assim como qualquer senha, ela precisa ser de difícil acesso, sempre misturando números e letras.

Também é aconselhado que você altere a sequência frequentemente e, para evitar que outras pessoas identifiquem sua rede e possam tentar descobrir a senha, evite utilizar nomes que indiquem de onde é o sinal, como “Wi-Fi do fulano”. Há ainda uma outra medida, mais radical, para limitar quem tem acesso ao seu roteador. Isso pode ser feito pelo endereço MAC da placa de rede. Funciona da seguinte maneira: o acesso ao equipamento fica completamente bloqueado, a não ser para o código MAC que foi liberado.

4. Altere o canal de conexão

Muitas pessoas possuem conexão de internet sem fio atualmente, e com certeza sua rede está funcionando no mesmo canal que a de alguns dos seus vizinhos. Isso é ainda mais comum se você mora em um prédio. Para melhorar a cobertura do seu Wi-Fi e para que ele tenha menos interferência, você pode fazer algo bem simples: escolher o canal que está mais livre.

Um dos softwares mais usados para verificar qual o melhor canal para conexão é o WiFi Analyzer, para Android. Há também o WiFi Stumbler como excelente alternativa. Ambos oferecem gráficos para ver qual canal está utilizando cada roteador, para então recomendar os melhores. Para alterar o roteador de canal, você pode entrar em contato com a empresa fornecedora do roteador ou verificar as informações no manual de instruções.

5. Instale um repetidor para aumentar o alcance do sinal

É possível que algumas das dicas acima ainda não tenham solucionado o problema de alcance de sinal. Se você mora em uma casa com vários pisos e paredes muito grossas, é possível que o alcance do Wi-Fi esteja bastante prejudicado. Uma forma de solucionar isso é por meio de repetidores de sinal.

Como primeira opção, há os repetidores de Wi-Fi que se conectam ao roteador através de um cabo Ethernet e reenviam o sinal a dispositivos mais remotos. Esses repetidores devem estar sempre conectados por cabo ao roteador, o que pode gerar inconveniência. Se isso for um problema, há outra opção: você pode utilizar os dispositivos PLC, ligados ao cabeamento da rede elétrica.

6. Fique atento aos aplicativos que sequestram sua banda

Jogos online, streaming de vídeo, programas de download e outras atividades que exigem conexão constante podem comprometer muito o sinal de sua rede Wi-Fi. Se em sua casa há várias pessoas que compartilham a mesma rede, é possível que algum aparelho esteja consumindo a maior parte da banda, limitando o uso da rede em outros computadores.

Uma das formas que resolver este problema é utilizar uma ferramenta que está presente em quase todos os roteadores Wi-Fi, o QoS. Com ele é possível priorizar a transferência dos dados por protocolos, ou seja, você pode colocar chamadas em vídeo na frente do Torrent, por exemplo. Também é possível bloquear completamente algum programa que você julgue estar consumindo mais dados que outro.

7. Reinicie seu roteador com frequência

Muitas vezes, o roteador pode travar por causa do aquecimento. Por isso, reiniciá-lo manualmente com frequência é bastante recomendado. Uma das sugestões é mantê-lo desligado durante períodos que ninguém costuma acessar a internet – como quando você estiver dormindo, por exemplo. Isso poderá melhorar a transmissão de sinal de seu roteador assim que você ligá-lo novamente, além de garantir maior vida útil ao seu equipamento.

8. Reinstale um novo firmware no roteador

Esta pode ser uma alternativa um pouco mais complexa, mas que pode funcionar. O firmware é comparado a um sistema operacional do equipamento, que controla todas as suas funções. Existe uma configuração que normalmente resolve muitos empecilhos relacionados ao sinal do Wi-Fi, que é o aumento da potência das antenas. Infelizmente, poucos roteadores trazem essa opção de fábrica, visto que ela pode danificar a máquina, Mas se você já tentou diversas alternativas e não obteve sucesso, por que não tentar essa opção?

Existem firmwares modificados que podem alterar seu equipamento antigo e transformá-lo em uma central com diversos recursos, entre eles a possibilidade de amplificar o poder das antenas e outras modificações. Os mais conhecidos são o DD-WRT e o Open WRT. Mesmo que a instalação desses sistemas seja um pouco complicada, no final do processo você notará que vale a pena.

Ao seguir as dicas acima, você terá uma melhor experiência em suas conexões. É importante destacar que algumas sugestões dependem muito do modelo e da marca de seu roteador. Os dispositivos que se conectam na rede Wi-Fi também exercem grande importância na qualidade de navegação. Por isso, é sempre aconselhado que seu computador, tablet ou smartphone esteja atualizado e livre de malwares.

 

Fonte: https://canaltech.com.br/telecom/8-dicas-para-melhorar-o-sinal-wi-fi-da-sua-casa/  acesso em 20/04/2018 as 18:22.